Direitos da Pessoa Autista é tema de Audiência

Por Cláudio Oliveira
Mais uma vez os direitos das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em Natal voltou ao debate na Câmara Municipal. Na manhã de hoje (27) uma audiência pública proposta pelo vereador Chagas Catarino (PROS) discutiu os direitos e a melhoria no atendimento prestado pelo Município.
O autismo é um transtorno de desenvolvimento que geralmente aparece nos três primeiros anos de vida e compromete as habilidades de comunicação e interação social. De acordo com pais e profissionais que atendem a pessoas com autismo, as escolas e unidades de saúde do município ainda não conseguem prestar o atendimento e encaminhamento correto àqueles que apresentam o transtorno. Em Natal, o atendimento às pessoas autistas é oferecido principalmente por instituições não governamentais que precisam de recursos oriundos de convênios ou doações para manter o trabalho. Uma delas é a Associação dos Pais e Amigos dos Autistas do RN (APAARN).
De acordo com a representante da entidade, presente à audiência, Nara Chacon, o município deixa a desejar no atendimento que precisa ser multiprofissional, mas, sem condições de atender, precisa apoiar as entidade que realizam o atendimento. “Na APAARN estamos há três anos sem educador físico, algo fácil para o município ceder e essencial ao desenvolvimento dos usuários. Os autistas e suas famílias precisam de suporte e esse suporte tem que vir do poder público porque hoje não se consegue obter melhoria no desenvolvimento dessas pessoas com tratamento que o SUS oferece”, reclama Nara Chacon.
Para a professora da UFRN, Eliana Rodrigues Araújo, que é mãe de um rapaz autista e criou uma unidade de educação diferenciada a autistas, é preciso que se providencie mais especialização dos profissionais para que se consiga melhor atender. “Precisamos de especializações nas diversas abordagens para atender às diferentes manifestações do autismo”, disse, apontando esta como uma das principais dificuldades que se enfrenta no tratamento.
O vereador Chagas Catarino convocou todas as entidades, pais e defensores da causa para participarem das discussões que definem o Orçamento Geral do Município (OGM), no segundo semestre. Ele pretende apresentar emenda destinando recursos, seja para as entidades, ou mesmo para a construção de uma unidades especializada para tratamento de autistas na capital. “Acho que podemos contribuir dessa forma também, direcionando recursos para atender a estas pessoas e assim facilitar o tratamento. É interessante que estejam todos presentes defendendo essa causa”, disse Catarino.

Faça um comentário, sua opinião é muito importante para nós.