Senador recebe Movimento Brasil e ressalta importância de somar força para mudar o Brasil

O senador José Agripino (RN) recebeu nesta quarta-feira (27), em seu gabinete, em Brasília (DF), representantes do Movimento Brasil (MBR), que estão em Brasília (DF) para participar da Convenção da Aliança Nacional dos Movimentos Sociais, nesta quinta-feira (28). O parlamentar potiguar se colocou à disposição para debater com o movimento questões importantes para o país, como a punição para casos de corrupção e soluções para a grave crise econômica enfrentada pelo Brasil durante a gestão petista.
“Tenho conversado com pessoas nas ruas, com prefeitos e vejo no olho dessas pessoas sua aflição com o que está ocorrendo no Brasil. São casos de corrupção todos os dias estampados nos jornais, desemprego crescente, famílias endividadas. E mais: com um cenário sem perspectiva de mudanças”, disse Agripino. “Nós, da oposição, estamos agindo com coerência, reunindo tudo o que podemos para agir de forma a obtermos consequência nos nossos atos”, frisou o parlamentar pelo Rio Grande do Norte.
Nesta terça-feira (26), a oposição entrou na Procuradoria Geral da República (PGR) com representação contra a presidente Dilma Rousseff por crimes contra as finanças públicas e por falsidade ideológica. José Agripino frisou ainda a importância de somar os movimentos sociais para mostrar ao Brasil e ao governo federal a força das ruas.
“O governo federal não investe em nada, então, o cenário para os próximos anos é de mudança alguma. Daí a importância dos movimentos sociais estarem unidos, conectados e cientes de sua força para mudar o país”, destacou o senador. O Movimento Brasil é formado por empresários, médicos e profissionais de vários setores dos estados de Alagoas, Sergipe, Ceará, Pará, São Paulo, Rio Grande do Norte e Distrito Federal.
A principal bandeira de seus representantes é a união de todos os 50 movimentos que fazem parte da Aliança Nacional. O MBR também quer alinhar com a oposição discursos que pedem, por exemplo, a punição imediata para os casos de corrupção no Brasil, a responsabilização da presidente Dilma Rousseff sobre essas denúncias e a retomada do crescimento econômico nacional.
“O nosso movimento vê o panorama nacional atual e sabemos que o país está parado e as pessoas, desiludidas. O povo está envergonhado e isso provoca mudanças de comportamento em relação à política e, inclusive, ao Congresso Nacional”, destacou Josan Leite, um dos líderes do MBR.

Faça um comentário, sua opinião é muito importante para nós.